Objota O mundo orientado a objetos

Primeiros passos com php

Posted on julho 10, 2010

Tipos de dados em php

Antes de começar é preciso saber de alguns detalhes da linguagem. Todo código para ser executado, deve estar em um arquivo com extenção ".php". Dentro de um servidor ou se for local dentro da pasta htdocs.
Em algumas linguagens, como Java, é preciso dizer que tipo de dado vai ser armazenado em uma variável. No php isso não é necessário com tipos primitivos. Ele pode armazenar números inteiros, números double ou float (números com casas decimais), sendo que as casas decimais devem ser separados por um “.”(ponto) . E String uma cadeia de caracteres, sempre entre aspas-duplas ou aspas-simples, sendo que existe diferença entre as duas. Será citada em momento oportuno.

E por último valores booleanos, ou seja: 0 ou 1, true (verdadeiro) ou false (falso).

Exemplo:
Armazenando Inteiros:
$var = 50;
Armazenando double ou float:
$var = 50.365;
Armazenando String:
$var = "Eu vi isso no objota";

Armazenando valor booleano:
$var = true; //verdadeiro
$var = 1; //verdadeiro

$var = false; // falso
$var = 0; //falso

Estruturas de Controle

Veremos a seguir uma série de estruturas de controle utilizadas no php para controlar o fluxo da aplicação. Mas antes...

Declarando variáveis:

Toda variável em php deve iniciar com o símbolo de sifrão “$”. Logo depois dele é possível colocar caracteres alfanuméricos. De A-Z e de 0-9 (o primeiro caractere depois do sifrão deve ser uma letra). Por regra de sintaxe, todo comando deve ser finalizado com um ponto-e-vírgula “;”. Vide exemplo abaixo.

$variavel;

Operador de atribuição:
O operador de atribuição “=” (igual) é utilizado para atribuir (armazenar) um valor em uma variável. Vide exemplo abaixo.


$variavel = “Valor”;

Operador de comparação:

Os operadores de comparação são utilizados para fazer comparação de valores, dentro de variáveis.

  • “==” este operador compara se o dois valores são iguais. Cuidado é muito fácil confundir este operador com o de atribuição que é só um “=”(igual).
  • “>” (maior que) este operador compara se o valor da esquerda é maior que o da direita.
  • “<” (menor que) este operador compara se o valor da direita é maior que o da esquerda. · “>=” (maior igual) este operador compara se o valor da esquerda é maior ou igual ao valor da direita.
  • “<=” (menor igual) este operador compara se o valor da esquerda é menor ou igual ao valor da direita.
  • “!=” (diferente) este operador verifica se os valores comparados são diferentes.
  • “===” (idêntico) este operador verifica se os dois valores comparados são idênticos.
  • “!==” (não-idêntico) este operador verifica se os dois valores comparados não são idênticos.

Operador de bits:

Deslocamento à esquerda:

"<<"

<code>$a << $b;</code>

Desloca os bits de $a "$b passos" para a esquerda (cada passo significa "multiplica por dois"). Se $b for 2, por exemplo, os bits serão deslocados dois passos a esquerda.

Deslocamento à direita:

">>"

$a >> $b;

Desloca os bits de $a "$b passos" para a direita (cada passo significa "divide por dois"). Segue o mesmo conceito que o anterior.
Se você ainda não tem familiaridades com base binária sugiro que faça um breve estudo a respeito. Futuramente veremos como utilizar estes operadores.

Estruturas condicionais:

IF, ELSEIF, ELSE IF, ELSE, SWICTH, CASE.

Em geral o a estrutura if funciona da seguinte forma.
If(<expressão>){
Bloco de código a executar.
}
Se a expressão dentro do parâmetro do if for verdadeira ele executa o conteúdo do bloco, caso contrário ele excuta o else . Se não existir um else ele simplesmente não faz nada.
Exemplos:
IF

<?php
$var1 = 5;
$var2 = 6;
If($var1 < $var2){
echo “Texto qualquer”;
}

?>

IF e ELSE

<?php
$var1 = 5;
$var2 = 6;
If($var1 >  $var2){
echo “Texto qualquer”;
}
Else{
Echo “Texto qualquer do else”;
}

 ?>

Também é possível fazer um encadeamento, com uma séria de if else ifs.

<?php
If(5 > 10){
 echo “primeiro if”;
}
else if(10 > 11){
 echo “Segundo if”;
}
else{
 echo “Final”;
}

?>

Experimente alterar os valores na comparação, fazendo vários testes. Isso irá ajudar a fixar bem a idéia de como funciona a estrutura.

SWICTH, CASE

Se você conseguir associar bem o uso de um if e else vai achar ainda mais fácil utilizar um swicth. Sua estrutura é bem simples, veja abaixo:

switch (<valor>) {
case 0:
echo "i equals 0";
break;
case 1:
echo "i equals 1";
break;
case 2:
echo "i equals 2";
break;
}

Se o valor recebido por parâmentro for igual ao valor na frente do palavra case então ele irá executar um comando até encontrar um comando break. Mais simples impossível. Vejamos um exemplo real abaixo:

<?php

$valor =  0;
<code>switch ($valor) {
 case 0:
echo "Teste 0";
 break;
 case 1:
echo "Teste 1";
 break;
 case 2:
echo "Teste 2";
 break;
}</code>

?>

Neste caso o case que será executado é o Zero "0";

Estruturas de repetição:

For, while, do while, foreach
Em geral uma estrutura de repetição serve para repetir um trecho de código um determinado número de vezes. O programador pode ou não saber quantas vezes este trecho irá repetir. Para isso existem estruturas como while e do while¸elas repetem um bloco de código enquanto uma expressão for verdadeira.
A estrutura for é utilizada geralmente quando se sabe o número de repetições necessárias para executar uma certa ação. Vejamos alguns exemplos.
FOR
for(<Inicia o contador>;<expressão>;<incrementa o contador>){
bloco de código a executar.
}

<?php
for($i = 0; $i <= 10;$i++){
  echo $i;
}
?>

O primeiro parâmetro do for é onde atribuímos um valor inicial para seu contador. Neste caso eu chamei de $i. O segundo parâmetro é uma expressão que pode ser verdadeira ou falsa. E o terceiro e último parâmetro é onde se incrementa o valor do contador. Os dois símbolos de “+” juntos, “++” é o mesmo que “+1”. Sendo assim $i++ é o mesmo que $i+1.
Neste caso o for imprime na tela números de 0 até 10. Sendo executado da seguinte forma. Primeiro ele atribui o valor inicial do contador, no caso zero “0”; Depois compara se a expressão é verdadeira, caso seja executa o conteúdo do seu bloco; Em seguida incrementa o contador, que antes era zero agora se torna 1 a assim sucessivamente até que a expressão não seja mais verdadeira.

WHILE
while(<expressão>){
bloco de código a executar.
}

<?php
$var1 = 20;
$var2 = 35;
while($var1 <= $var2){
 	echo $var1;
 	$var1++;
}
?>

Com a estrutura while a coisa é mais simples. Veja que ele só possui um parâmetro, que recebe uma expressão. Segue a regra, se a expressão for verdadeira ele executa o bloco de código, caso contrário o fluxo da aplicação segue em frente. Neste caso o trecho de código dentro do bloco imprime na tela todos os valores de 20 até 35. Veja que ainda dentro do bloco eu faço o incremento da variável $var1. Se isso não fosse feito, $var1 sempre iria ter o mesmo valor “20”, conseqüentemente a expressão sempre seria verdadeira “20 menor ou igual a 35”. Isso tudo iria resultar em um loop infinito, o que faria o browser ficar cada vez mais lento até travar e fechar o programa.

FOREACH
O foreach é uma estrutura utilizada para extrair todo o conteúdo de um array, para saber mais sobre arrays veja este artigo: Arrays em php.

<?php
$var1 = array(“valor1”,”valor2”,”valor3”);

foreach($var1 as $key){
 	echo $key;
}

?>

Este trecho de código imprime na tela todos os valores do Array.
Por aqui basta, espero que tenha sido esclarecedor para quem está começando. Até o próximo artigo.

Posted by Rodrigo Ireno

Comentários (1) Trackbacks (3)
  1. Legal. O artigo está bem simples e direto, buscando sanar as dúvidas mais comuns, para poder começar. Parabéns pela iniciativa.


Leave a comment