Objota O mundo orientado a objetos

Um pouco sobre a JVM – Java Virtual Machine

Posted on junho 29, 2010

Olá, neste artigo vou comentar um pouco sobre a JVM (Java Virtual Machine) que é responsável por interpretar suas classes feitas em Java. Vamos ser diretos quanto aos fatos.

A linguagem Java possui um alto nível de portabilidade. O que seria? Portabilidade significa que o seu código é portável para diferentes plataformas, por tanto os programadores Java não precisam se preocupar a fundo com o sistema operacional para o qual está sendo feito o seu aplicativo. Como isso é possível?

Simples, quando o programador faz uma classe ou em um projeto inteiro, onde muitos profissionais atuam. O projeto consiste, geralmente, de milhares de classes. Todas escritas em linguagem Java. Os arquivos são salvos com a extensão “.java”.
exemplo: “filter.java” - exemplo de um arquivo que contenha alguma classe

Dentro de um arquivo como este, está tudo escrito em Java. Quando se compila o código Java em uma IDE qualquer, é gerado um arquivo filter, porém com uma extensão “.class” . Este arquivo “filter.class” contém o bytecode este por sua vez é executado pela Java Virtual Machine. Então por definição, quem executa uma aplicação feita em Java é a Virtual Machine, software free disponibilizado para download no site da Sun. Por isso a portabilidade do código fonte é tão grande, existem versões da Java Virtual Machine para quase todas, se não todas as plataformas existentes no mercado.

Isso tudo também leva a uma conclusão. Java é uma linguagem compilada e interpretada, e o que muitos profissionais já sabem é que isso acaba tornando-a lenta. Isso impossibilita seu uso em alguns projetos em que desempenho do software e uma prioridade.

É isso meus caros, espero ter enriquecido um pouco mais seus conhecimentos sobre Java. Até a próxima.

Posted by Rodrigo Ireno

Comentários (0) Trackbacks (0)

Sem comentários


Leave a comment

Sem trackbacks